sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Guernica


Conta-se uma história sobre Picasso e o seu quadro Guernica. Durante a ocupação alemã de Paris, em plena guerra mundial, um oficial alemão interessado por arte visitou Pablo Picasso no seu ateliè, que já era mundialmente conhecido. O militar observou alguns esboços de Guernica. “Foi o senhor que fez isto?”, perguntou ao pintor. “Não, o senhor é que o fez”, respondeu Picasso.
Picasso tinha ficado profundamente abalado pela guerra civil espanhola, que via não apenas como uma hora negra da sua pátria mas também como uma disputa em torno da visão do mundo. Chegou a dizer que “quem vive com valores espirituais não se pode manter indiferente face a um conflito em que estão em jogo os mais altos valores da Humanidade e da civilização”.
Mais atual e, sem dúvida, sem uma carga emotiva tão grande, não me pode ser indiferente o incidente ocorrido por estes dias nas escolas do concelho. Recebi vários mails, principalmente de professores, dando-me conta que as bandeiras, que faziam parte de uma acção de protesto, da Fenprof teriam sido removidas por indicação do diretor. Não tenho muita simpatia pela Fenprof  nem sei o que esteve como motivo para a remoção das bandeiras mas o comunicado deixa o diretor isolado e este antes de mais deve zelar pela sua escola. Ao tomar esta decisão tornou um facto sem importância num tema fraturante.
Em Guernica, Picasso mistura tradição e revolução, na escola as bandeiras de protesto podem ter alguma tradição e, de certeza, que não iria sair dali uma revolução!

10 comentários:

Campo Maior não merece isto! disse...

O Picasso tinha um feitio difícil e o actual Director também!
Mas, isso não era novidade há 2 anos atrás quando foi eleito. Na altura o dilema estava bipolarizado e o actual Director foi a solução menos má! Para quem votou nele, estamos obviamente desiludidos pela não demonstração de equidade e pelo progressivo afastamento da realidade do Agrupamento. Entrincheirou-se numa das correntes dominadoras, e com ascendente sobre ele, e esqueceu-se do resto. Não confia em ninguém, parece que não conhecia a realidade que o rodeava, e serão aqueles que chamou para perto de si os primeiros a cravar-lhe a faca nas costas!
Na minha opinião, o professor José Emilio, que é isso que sempre será, esqueceu-se de quão efémero são os lugares de chefia. Sempre o vi como o homem da transição, abrindo caminho para outra santa criatura. Nessa altura, será demasiado tarde para inverter um caminho errado.
Em breve voltará para a sala de aula e junto dos colegas, nessa altura, como será a atitude destes tendo em conta incidentes, tristes e lamentáveis, que nada abonam a seu favor.

Jack The Ripper disse...




Gostei dessa mensagem subliminar "santa criatura"

Anónimo disse...

Nem precisa de ser uma pessoa abençoada, ou santificada!
Olhem, para mim é simples: não estão satisfeitos, mudem! Na altura certa, façam as eleições e pronto!

Paulo disse...

Estou a ficar confuso: falam de um director ou do Papa?
Parece-me que esperam por um D. Sebastião ou, já agora, pelo Messias, o Salvador!
Olha, até eu já entrei nesta santa onda!
Mas, será que se passa alguma coisa que tenhamos de saber nas nossas escolas? O homem não foi à assembleia justificar-se? Então? Parece-me que querem inaugurar a nova casa mortuária com a figura do Sr. Professor Emilio! A Servilusa já vai a caminho!
Eu, se fosse a pessoa, mandava isto tudo/todos às urtigas! Ou ao mesmo lugar indicado pelo Francisco José Viegas!

Anónimo disse...


Sr Paulo

está fora de contexto.A questão tem a ver com as faixas do sindicato que o senhor professor Emílio mandou tirar das grades da escola.É legitimo o senhor não querer nada a dar cabo das vistas da sua quintinha...Não percebeu?
Os senhores professores só tem é de obedecer ao seu chefe.Qual faixas qual carapuça.Vão protestar para outro lado.Vejam lá se os professores dos "Centros" particular abrem a boca...O professor Emilio só tem de aprender com eles.

Anónimo disse...



Jack

parabéns pelo seu post,denota subtileza e bom gosto.Adoro Picasso e já estive frente ao Guernica é um quadro avassalador,oxalá a humanidade tenha sempre presente aquelas imagens!
Senhores professores deduzindo que o sejam,e perdoem-me se não o são,há foruns proprios para.
Aproveitem as reuniões,conselho geral ou outras e expressem ao professor o vosso "sentir".Alcem a voz democraticamente,como uma classe que tem um capital de saber importante.
Aqui não, por favor!Tenham dignidade.

Um professor aposentado,não morto!

Anónimo disse...

Caríssimos comentadores,
Como eu gostaria de os ver à frente de uma escola/agrupamento! Tudo parece fácil mas não o é! Por vezes, aqueles em que mais confiamos, são os nossos maiores detratores! Se não é a faixa é outra coisa qualquer.Nunca se consegue agradar a ninguém, tal não é a sede de poder! Mas é a luta pela luta, vazia e sem ideias. Esses, querem apenas ficar a ganhar algo mais relativamente a outros tempos e aos presentes.
Pior do que uma má decisão é uma não decisão.
Tenham paciência...o vosso dia há-de chegar! Carpe Diem!

Anónimo disse...

Não sou professor, mas assino por baixo, relativo a outras situações.

Antonio Domingos disse...

Não venho aqui para defender o Professor José Emilio. mas sim para dizer algumas verdades. As pessoas que agora dizem mal, foram se calhar aquelas que o Professor facilitou, muitas vezes fazendo-lhe o serviço que a elas lhe pertencia fazer, eu sou testemunha, pois muitas vezes senti na pele , pois muitas vezes eu também tinha prazos a cumprir e tinha que cumprir no ultimo dia. Pois a verdade é esta quando uma pessoa faz 100 favores a outra é um Santo quando só faz 99 é um Diabo. Mas também o que acontece na Sede do Mega Agrupamento é que o mesmo Edificio nasceu torto, vejamos. A Chefe de Serviços na altura " Santa Beatriz da Silva, roubou o Estado, falcificando cheques, deu entrada a Factura falsas e muito mais só o padrinho dela saberá melhor do que eu. No fim levou com um processo disciplinar em cima e no fim ainda foi condecorada com uma indeminização e a reforma por inteiro, por isso neste País não vale a pena ser-se Sérios pois os corruptos é que têm valor .
Se acharem que encontram alguém melhor para substituir o Professor José Emilio, então porque não o fazem, duvido que haja alguém que seja capaz de dar tanto à Escola como o Professor Zé Emilio já deu e continua a dar, eu sou testemunha disso. Ponha lá novamete a Madre Teresa de Calcutá, pois quando veio de Elvas dizia que vinha para Campo Maior para endireitar a Escola Secundária de Campoo Maior, segundo os colegas e o restante pessoal não docente ainda entortou mais. Por agora é só. A minha consciencia está tranquila

Anónimo disse...

Só está tranquila com este desabafo? Não compreendo o reformado Domingos! Daquilo que fala é grave e criminalmente punível!
Perdeu uma boa oportunidade para estar calado!
Ficámos a saber que é testemunha... de José Emilio! Fica-lhe bem esse gesto de fidelidade!
Ainda a procissão vai no adro e já as comadres estão zangadas!