segunda-feira, 1 de março de 2010

Assembleia Municipal Polémica

Tenho andado um pouco afastado de Campo Maior e por consequência de informações para o blog. Mas eis que chegado o fim-de-semana ponho a conversa em dia e chegam-me ecos de uma Assembleia Municipal bastante polémica. Esta polémica deriva de um tema que deveria ter sido discutido há já muito tempo mas que a estratégia eleitoralista adiou para melhor momento. Falo da Concessão do Abastecimento de Água à empresa Aqualia e da discussão das suas tarifas. A polémica estalou quando os elementos da actual oposição imputaram todas as responsabilidades deste aumento ao actual elenco do PS.
Se estão esquecidos estes senhores vou apenas enumerar alguns pontos que convem relembrar.
1- A Concessão foi feita sem que houvesse um estudo publicado ou discutido pela generalidade da população.
2- Deveria a ética destes senhores não permitir que o filho do anterior presidente fosse tornado funcionário da empresa que recebeu a concessão.
3- Se o Serviço de Águas apresentava ineficiências deveria o responsável pelo serviço ter a competência suficiente para as eliminar. Não são poucos os casos de pessoas que se dirigiam à câmara queixando-se que os seus contadores não funcionavam, no entanto estas situações arrastavam-se pelo tempo sem que a Câmara cobrasse as respectivas receitas.

Vamos ser sérios...e já agora proibir as pastilhas elásticas durante as sessões da Assembleia Municipal!



5 comentários:

GARCIA disse...

meus amigos eu já tinha falado neste caso logo quando foi feito o negócio da água. havia de aver um referendo popular, para venderem um bem comum que é a água, a maioria do pessoal tudo ficou calado, só agora é que falam é triste..... ou tinham mêdo de alguem'? um abraço

D'um camponês disse...

Meu amigo o grande problema foi e será sempre da pastilha elástica, leia-se, os interesses pessoais acima do interesse público! Esse negócio foi uma grande aldrabice e uma maneira subtil de atirar areia para os olhos da população. Quer dizer que com o pessoal da câmara o abastecimento de água não era perfeito e funcional??? Tretas e tetas das grandes para esses "gulosos"!

Acima de tudo e todos o interesse público!!! Tantas vezes esquecido!!!

Hasta!!!

Bonifácio disse...

É verdade,os cavalheiros da oposição foram os progenitores desta negociata, e agora este executivo limita-se a honrar os compromissos que eles assumiram,depois vão para as Assembleias armarem-se em defensores do povo... Que falta de vergonha!Ainda por cima apresentam uma declaração de voto extremamente ofensiva para o actual executivo, com um palavreado simplesmente vergonhoso, se alguém entra na sala no momento em que estão a ler aquela...declaração de guerra, diria que os cavalheiros eram 200% contra os aumentos da água e que nada tinham a ver com aquilo.Pois aí é que está o grande problema: aquela rapaziada .... absteve-se!!! E esta heim ?? Coerência política não é ?? A demagocia daquela gente continua. O mais "democrático" é que , a seguir à leitura daquele "manifesto" o Sr.Presidente encerrou a AM, já não deixou mais nonguém falar . Exemplar !!!

The Butcher disse...

“Nada é tão admirável em política quanto uma memória curta”

John Keneth Galbraith


Vem esta citação a propósito da alarmante vaga de amnésia que durante os últimos tempos parece ter tomado conta do Movimento “ A Nossa Terra Campo Maior”. Desde já faço votos de rápidas melhoras.

Na última Assembleia Municipal, os membros deste movimento fizeram uma defesa numantina e verdadeiramente socialista dos direitos dos cidadãos, protestando veementemente contra o novo tarifário a ser aplicado pelos senhores da Aqualia. É uma atitude louvável e que nós, cidadãos cujos bolsos são violentados mensalmente, aplaudimos entusiasticamente, de pé, com lágrimas nos olhos e várias genuflexões à mistura. Mas depois dos aplausos lembramo-nos que foram estas as personagens que entregaram a água aos privados. Onde estava o socialismo então? Na gaveta, talvez. Esperemos que algumas das seguintes questões lhes avive a memória:

- Foi o Município que procurou a privatização ou foram as empresas do sector que procuraram o Município? Quem contactou quem? Quando?

- Qual o estudo que fundamentou a decisão de alienar o serviço de abastecimento da água? Foi a decisão tomada a “olho”?

- Que condições constam no contrato? Existem cláusulas que prevêem uma rescisão?

- Que vantagens contratuais ofereceu a Aqualia que a distinguisse das propostas da AGS - Administração e Gestão de Sistemas de Salubridade, da Aquapor e da Indaqua Campo Maior?

- A que se deve a entrada de um familiar do ex-presidente da Câmara nos quadros da Aqualia imediatamente após a concessão? A uma feliz coincidência?

Por último, um breve apontamento para o Vereador Hermenegildo. Parece que depois da derrota eleitoral o Sr. em questão perdeu a compostura: retirada de equipamento médico em Degolados, demissão do Clube de futebol local, ameaças (?) de mudar a residência para Arronches e agora apresenta-se nas Assembleias Municipais em postura provocadora e desafiante, mais própria de um hooligan que de um vereador. Tudo isto é triste, tudo isto é fado. São os políticos possíveis nesta terra possível.

Como a prosa vai longa e mete muita água, deixo para outro dia tema igualmente interessante: As Coincidências. Como aquela em que uma empresa chamada VillaLiving, sedeada no Porto, tem como Sócio-Gerente um Sr. com o mesmo nome do nosso estimado Presidente da Assembleia Municipal: Rui Manuel Gonçalves Pingo. Curioso, não é? Small World.

Anónimo disse...

Já agora, em termos de coincidências, quem serão os sócios-gerentes de uma empresa com nome muito semelhante: VillaLiving Campo Maior (Pessoa Colectiva n.º 508 944 384) ?