quarta-feira, 6 de maio de 2009

Dos meus sonhos

Eu acredito que cada um deve nascer com o destino traçado mas isso não quer dizer que cada pessoa não sonhe com outras coisas eu por exemplo confesso que gostava muito de trabalhar na rádio e sempre que estou em casa tenho o aparelho ligado na Rádio Campo Maior e imagino-me a fazer um daqueles programas principalmente o Clube da Solidariedade que é um dos que gosto mais com aquelas pessoas que são sócias a telefonarem mas o meu principal problema é que tenho um ouvido um bocadinho duro e era capaz de não conseguir saber logo à primeira quem era a D. Alda ou a D. Maria porque para mim elas têm as vozes muito parecidas mas com o tempo talvez conseguisse mas o meu maior problema é que falo muito à moda de Campo Maior e na rádio todas as meninas e meninos que lá falam têm uma pronúncia diferente embora eu não perceba onde a foram buscar porque nas outras rádios não falam desta maneira mas mesmo assim acho que falam muito bem e então eu tenho andado a treinar mas parece-me que o resultado não tem sido muito bom porque os meus amigos no outro dia perguntaram-me ao mesmo tempo que se riam perdidamente que maneira de falar era esta se eu tinha aparvalhado de todo enfim estou a ver que tenho de desistir deste meu sonho mas também é destas coisas a gente nunca sabe o dia de amanhã e a esperança é a última a morrer.

4 comentários:

Ouvinte atento.... disse...

Eu acho que a menina Urtiga o que devia ir tentando, não era falar bonito, como diz brasileiro, mas sim fazer programas de musica e de cultura para o nosso povo.
Tem um caso bastante concreto, a Radio Estremoz, tem um programa de musica muito bom em que são os ouvintes que pedem a musica, mas não é uma musica qualquer, é musica para quem gosta de musica, não pela aparição da sua voz na rádio, e, o apresentador, que agora não me lembro o nome, fala como qualquer pessoa de Estremoz, aquele sotaque alentejano daquela cidade.
Quer outro exemplo?
A radio Portalegre, também com aquele sotaque característico da zona. deixe de treinar o sotaque de pessoa bem falante e arranje maneira de fazer boa programação.
Fico à espera da ouvir um dia destes. xau até lá.

urtiga disse...

Senhor Ouvinte Atento agradeço muito os seus esclarecimentos e o incentivo para que eu mantenha a sonho de um dia vir a ser locutora de rádio.

Anónimo disse...

O melhor era fecharem a porcaria da rádio, não presta para nada, e tá a sacar o dinheiro dos velhos e das crianças à misericórdia.

Mas porque será que não há lá gente de campo maior a fazer locução?

Nós camponeses gostamos muito de falar mas é nas costas!

Anónimo disse...

Ó menina urtiga então e a menina não ouve as rádios nacionais: sei lá tipo antena 1, RFM ou rádio clube português?

Bom pela sua lógica estando essas rádios localizadas em lisboa deveriam falar lisboeta não?

Fala numa pronuncia estranha dos meninos e meninas, mas é engraçado eu ouço falar em português correcto. Tirando quando dão voz aos novos que falam à campomaiorense que até faz doer os ouvidos.

Gosto muito do nosso sotaque, mas é nas saias e no nosso dia a dia, agora numa rádio penso que se deva falar o portugês correcto.

Já agora para o sr. ouvinte atento, de facto não pôde ter escolhido melhores exemplos de rádios bregas, que só passam pimbalhada.

Se calhar como diz o anómio das 11.57, mas valia fecharem a rádio, não por ser uma porcaria (esta é a minha opiniao, das rádios locais que conheço a nossa é muito boa), mas sim devia fecha-la porque infelizmente parece que não lhe sabemos dar valor.

Somos bons é a criticar.

O verdadeiro ouvinte atento