segunda-feira, 13 de abril de 2009

A cultura contra a crise

A cultura é hoje reconhecida como um factor decisivo no desenvolvimento de qualquer país, como um pilar que, nas suas diversas vertentes, contribui não só para o desenvolvimento dos países como para a afirmação dos povos e para a visão que eles têm do seu futuro.
Vai longe o tempo em que a cultura era vista como um mero ornamento, uma "flor na lapela", uma referência de circunstância. Como afirmou a Comissão Europeia, na sua comunicação sobre "a agenda europeia para a cultura num mundo globalizado", a cultura, além de se encontrar "no cerne do desenvolvimento humano e da civilização", é um importante "activo, num mundo imaterial e baseado no conhecimento. O sector cultural europeu é um importante propulsor de actividades económicas e de emprego [que] ajuda a promover uma sociedade inclusiva e contribui para a prevenção e redução a pobreza e da exclusão social". O que assim se sublinha é, e bem, que a cultura pode dar uma importante contribuição na resposta à crise que o País atravessa.
Manuel Maria Carrilho, DN 25/3/09

1 comentário:

Latino disse...

Sinceramente tenho pena que se continue a associar a cultura apenas aos intelectuais. A cultura é um bem comum, a cultura é de e para todos. A cultura manifesta-se das mais variadas formas e gostos, a cultura é uma obrigação de todos nós, quer de a adquirir, quer de a transmitir. Todos nós podemos contribuir para que assim seja, assim haja vontade para tal.