sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Orçamento Autárquico 2011!

Já passou algum tempo desde a sua aprovação, mas foi um tema, que seja pela quadra Natalícia ou pelo escasso interesse que suscita na população, foi pouco comentado e pouco divulgado. Falo-vos do Orçamento Municipal para 2011.
Falta-me profundidade sobre o assunto e desconheço o documento em pormenor. O que sei foi recolhido no Blogue do Grupo do PS na Assembleia Municipal.
Destaco como pontos de interesse, que este ano o Orçamento vai ter um valor global de 13 milhões de Euros, longe dos 18 do ano anterior. Também destaco que está orçamentada a nova Casa Mortuária e o alargamento da Zona Industrial. Sem dúvida, duas obras de interessa para os campomaiorenses.
De qualquer forma, não é necessário deitar mão do Wikileaks para perceber que o Orçamento é bastante restritivo, a confirmar, uma vez mais que a saúde financeira do município não é a melhor e que as transferências do Estado diminuiram.
Oxalá neste orçamento estejam esplanadas as reais necessidades do munícipio sem que haja gastos superfluos. O rigor económico assim o exige!

6 comentários:

«O ALCAIDE DO CASTELO» disse...

olá não sei onde gastaram 18 milhôes de euros no ano 2010, pouco fizeram em materia de desenvolvimento e poucas obras fizeram, está há vista de toda a gente...

Espinhos disse...

Pode aprofundar, se realmente o desejar, o tema aqui: http://cducampomaior.blogspot.com/2011/01/assembleia-municipal-de-20-de-dezembro.html

Concordo plenamente que não foi muito falado e que não suscita interesse nos campomaiorenses. vai se lá saber porquê...?

Mas é de toda a importância que a população de Campo Maior tenha conhecimento e interesse por este documento.

Assim como na política nacional e europeia, os orçamentos vão gerir parte das suas vidas por um determinado período de tempo.

Pode solicitar a acta da reunião a qualquer dos membros da assembleia, logo que conferida e assinada, ou aguardar a sua publicação no site da Câmara.

Pois existe no blog que referí bastante informação adicional que o blog ao qual faz referência não diz... pelas suas palavras.

saudações

Anónimo disse...

Caro amigo Espinhos como pode suscitar interesse uma coisa que se sabe á partida que é apenas um documento politico. Basta analisar o orçamento de 2010 para se perceber que a sua execução foi nula. Se os politicos fossem obrigados a responder pelo orçamento e pela taxa de execução a musica era outra, assim, eles escrevem mas como sempre não fazem nada.

Jaime Carmona disse...

O importante será a forma como o dinheiro será gasto.
Numa época de racionamento financeiro, não há tempo para experiências ou aventuras dispendiosas!
Em relação à participação dos campomaiorenses,aí, a conversa é outra. É uma questão de participação cívica e, a maior parte, está completamente alheada do importante papel fiscalizador que cada um de nós pode desempenhar.

portas.da.vila disse...

Bem 13 milhões, já são mais reais e mesmo assim acho muito! Em comparação com o barbarismo dos anteriores 18 milhoes, porque se realmente a camara gastou esse dinheiro foi um autentico roubo aos campomaiorenses!
Quanto ao primeiro ano de mandato, tem que se avaliar com um zero, a existencia de incoerência por parte deste executivo é uma constante.
Quanto à obra feita e reclamada também é triste proclamarem-se por algo que não fizeram. Como por exemplo a estrada do retiro que só a devemos ao nosso Comendador, porque se não fosse ele, nem burricas, nem companhia fariam tal obra.
Esperemos que menhorem a vida dos campomaiorenses, e acabem aquela longa obra na entrada da vila que ainda não percebi quando tem fim, e já lá vai alguns meses.
E por último, deixem-se de festas e festarolas e trabalhem, porque com as dificuldades que ai vem, o povo vai precisar de um executivo a trabalhar e a suar para conseguir ultrapassar os dias que ai vem!
P.S: Eu quero festas, mas a vida e os dias que se avizinham, não favorecem nada a sua realização.

fulano disse...

Uma seara não se faz somente de sementes!

Por isso, cada cabeça sua sentença!

Agora, cabe a cada um de vós tirar as ilações de tais frases!

(Depois de as ler, eu direi de minha justiça!)