segunda-feira, 17 de maio de 2010

Um Olhar pela História de Campo Maior!

Li numa edição do "defunto" Notícias de Campo Maior um artigo do Dr. Francisco Galego em que dava conta da origem dos nomes das ruas de Campo Maior. Foi um artigo que bastante gostei de ler e desde já envio os meus agradecimentos ao Dr. Francisco Galego por descrever um tema tão interessante e que me ensinou várias curiosidades sobre a nossa terra. Nele se descrevia que havia bastantes nomes que tinham tido origem numa questão datada de 1867. Por esses anos, havia uma grave crise no reino e uma das propostas era a de diminuir o número de concelhos. Campo Maior, por exemplo, deixaria de ser concelho e passaria estar anexado a Elvas. Segundo rezam as crónicas e o artigo referido, houve em Campo Maior um grande levantamento popular no dia 13 de Dezembro de 1867 (Rua 13 de Dezembro - Rua da Canada) o povo de Campo Maior entrou em greve liderado por alguns notáveis como o Barão de Barcelinhos (Largo do Terreiro) e o Visconde Seabra (Rua de Pedroso). Felizmente ganhou-se a causa e Campo Maior continuou concelho. Com esta história, não pude deixar de olhar para o que se passa hoje e pensar que vivemos numa situação semelhante. Ainda mais quando alguns comentadores da nossa praça propuseram a diminuição do número de concelhos e das juntas de freguesia de forma a diminuir o peso administrativo do Estado.
Esperemos que tudo não passe disto mesmo, mas se por hipótese remota, houver essa proposta firme, acho que deveremos fazer o mesmo levantamento popular tal como em 1867. Contem comigo e podem já ir reservando a Rua Jack The Ripper!

4 comentários:

Camponês disse...

HEHEHE
Sr. Jack, nos dias que correm já não se pode contar com a união campomaiorense, vai cada um por si.

J. Cordeiro disse...

Tretas de mau "Camponês".
Havendo razões fortes para isso, Campo Maior saberia dizer: PRESENTE!
Digo-o eu a quem nem precisavam de dar o nome duma rua. Aliás, como aconteceu com João Dubrás que como disse o nosso historiador Dr.Francisco Galego num programa da rádio, foi o cérebro e a alma desta revolta popular que salvou o nosso concelho à 143 anos. Ele também disse na mesma altura que os homens que fazem grandes coisas gostam de ficar na sombra e deixar os outros brilhar.

Jack The Ripper disse...

Obrigado pelos Vossos comentários

Ao contrário do Camponês também concordo com o J.Cordeiro e acho que a sociedade campomaiorense iria dizer presente.

E olhe que eu só falei isso da Rua para fechar o post de uma maneira descontraida, não ambiciono qualquer nome de rua.

Camponês disse...

Não sei se será bem assim.
Temos provas dadas ainda há bem pouco tempo.
Se estivermos do lado de fora de todas as lutas que se têm dado em Campo Maior,(que não foram poucas) teriam reparado nisso.
E, não comparem as datas porque nesse tempo já era.
Agora? já foi.