segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

18 Milhões - Eis o número!

Como já aqui tinha adiantado no Decampomaior, são 18 milhões os orçamentados para o ano corrente pelo novo executivo autárquico. Também prometi voltar a este tema, faço-o hoje!
Não posso aqui, num só post, dissecar todo o documento porque não poderiamos condensar o significado do texto em poucas linhas. Até porque um orçamento deve ser revisitado durante todo o ano de forma a serem identificados os desvios. Assim destaco, para já algumas breves impressões: Orçamento não foi participativo, e penso que não será a ideia do executivo deixar cair esta promessa. Penso antes que não havia tempo útil para implementar tal medida.
Congratulo-me por estar prevista uma rede de transportes intra-municipais bem como a sensibilização ambiental nas escolas. Não sei se o Vereador Sérgio Bicho leu o meu post de dia 2 de Dezembro com o título "A Terra precisa de Nós" mas nesse post havia exactamente esta sugestão http://decampomaior.blogspot.com/2009/12/terra-precisa-de-nos.html. De qualquer forma não está em causa se a ideia foi tirada daqui o que interessa é que ela apareça concretizada.
Para finalizar também destaco a verba prevista para a construção do Pavilhão das Actividades Económicas. Mas aqui lanço o aviso: não basta construir o edifício, é necessário começar já a pensar nas infraestruturas humanas e nas estratégias necessárias para dotar esse espaço de conteúdos que se tornem em verdadeiros motores de desenvolvimento económico!

8 comentários:

Anónimo disse...

O Orçamento participativo foi prometido para o mandato,agora duga-me lá se era possível em dois meses por o mesmo em funcionamento..

Corto_Maltese disse...

Eis uma atitude Milli Vannilli. Sérgio Bicho não se conforma em apresentar uma péssima proposta como ainda por cima a proposta não é dele. Esperemos que os 18 milhões não se esfumem em medidas para protecção da Doninha Ibérica Albina e em pagamentos de Direitos de Autor.

Anónimo disse...

Se o orçamento fosse de 12 milhões era conservador, se fosse de 8, era retrógado, sendo de 18 , é utópico....

Corto_Maltese disse...

18 Milhões podem ser muitos milhões ou podem ficar em nada.Depende da sua aplicação. No entanto acho positivo este upgrade orçamental. Demonstra ambição, coisa que sempre faltou ao anterior executivo.

siripipi alentejano disse...

Aguardo que o novo Executivo cumpra os 100 dias de mandato para escrever sobre o mesmo. Antes da posse tive o cuiddo de emitir, no meu blogue, um artigo que dava 10 dicas ao novo Presidente. Pretendo no dia 6 de Fevereiro escrever sobre o Orçamento e explicar o que significa e como é elaborado, no entanto posso adiantar-vos que fazer um orçamenro de muitos milhões é fácil, mas a sua execução é extramente difícil porque as verbas recebidas do Orçamento do Estado e as fracas receitas locais impossibilitam a sua execução, por isso e pela experiência que tenho um orçamento elevado é utópico.
siripipi-alentejano

Anónimo disse...

Este Siripipi é sempre do contra...
MAs Campo MAior está farto de teoria e o Ricardo está a por em prática muitos dos seus planos. Infelizmente , a teia de burocracia em que este país está mergulhado não deixa que as coisas corram mais céleres

Anónimo disse...

Elaborar um orçamento de 18 milhões de euros não é dificil é só chegar ao lado das receitas e aumentar para compensar as despesas.
O que é dificil é elaborar um orçamento com rigor partindo primeiro das receitas possiveis a adquirir pela a autarquia e então depois partir para a construção do orçamento das despesas e aí sim é que a porca torce o rabo.
Primeira questão que se nos coloca qual o montante a amortizar da divida aos bancos e os respectivos juros.
Segunda questão qual o montante a pagar a fornecedores.
Terceira questão qual o montante a pagar em salários e encargos com os mesmos.
Quarta questão qual o montante a pagar em despesas correntes.
Depois de apuradas todas estas despesas será que ainda sobra muito para fazer os investimentos necessários para lançar o desenvolvimento de Campo Maior.

Anónimo disse...

aNÓNIMO DAS 19:44: o grande problema está na sua "segunda questão", tal o nivel de endividamento encontrado por este executivo, do género faço e assumo em 2009 , para ser pago em 2010...Face a isto, o executivo tem de honrar estes "compromissos", que retiram grossa fatia do que , em principio, seria para investir, assim é para pagar o que outros assumiram.