terça-feira, 7 de abril de 2009

Da estrada da barragem

Há dias fui passear até à barragem que coitada está com a água bastante em baixo e vi que a estrada já está arranjada é claro que fiquei triste porque é menos uma estrada onde se podiam fazer corridas de todo o terreno mas o que vale é que ainda há muitas estradas municipais em estado tão mau que até são melhores para as corridas mas por outro lado fiquei contente porque assim já não temos de ir aos saltinhos dentro do carro e às curvas e contracurvas para nos livrarmos dos buracos mas confesso que gostei muito da maneira como a estrada foi arranjada tem duas cores porque só puseram alcatrão novo nos sítios onde havia buracos e fica muito bonito o contraste entre a cor da parte nova e a da parte antiga e depois também tem uns motivos geométricos que parecem feitos de propósito para imitar uma obra de arte abstracta é que eu julgava que a estrada ia ser toda arranjada como fizeram os de Elvas em que ficou tudo da mesma cor mas vendo bem as coisas estas são de uma grande monotonia e eu continuo a achar que os de fora deviam cá vir para ver como cá se faz até porque podiam poupar algum dinheiro que faz falta para as festas de verão.


3 comentários:

Zé Água-Mel disse...

Você minha querida menina em tudo vai metendo bedelho pois se fazem porque fazem se não fazem é porque não fazem e não há meio de se chegar a uma conclusão a ver se nos entendemos que agora vamos todos para a Enxara e é tempo de boa união não é que não entenda que algumas das suas ideias sejam mesmo muito boas como por exemplo a da estrada assim aos chapões e às cores que tem o seu encanto olhe a mim faz-me sempre lembrar o meu avô que Deus tenha que usava uma calças tão remendadas tão remendadas que a par das tantas a gente já nem sabiamos se ainda havia nelas algum pano das calças quando as tinha comprado veja lá como a nossa memória trabalha que a estrada me fez recordar do meu falecido avô o que prova que uma estrada assim tem muito valor e por mutas razões.

Manuel Vicente disse...

É este Zé tem razão. Até parece que voltámos ao tempo da miséria. Só não percebo é como é que há tanto dinheiro pra coretos, festas e cantorias e as estradas estão na desgraça que se vê.
A brincar a brincar esta senhorita vai dizendo coisas que outros nem a sério enxergam.

Latino disse...

Venho por este meio retribuir e desejar também votos de Boa Páscoa.