segunda-feira, 9 de março de 2009

Das inovações

Fico sempre muito contente quando a câmara decide modernizar os serviços que presta à população como aquele da Loja do Munícipe de 2ª geração embora se calhar ainda vá demorar por causa das obras que têm de ser feitas na antiga casa da guarda e fiquei um pouco triste porque os de Borba até já inauguraram a deles e gostava que tivéssemos sido os primeiros no Alto Alentejo mas agora também fiquei muito satisfeita com aquela ideia de porem internet sem fios no Centro Cultural é uma ideia inovadora que muito pode contribuir para o avanço da modernização do concelho mas depois comecei a pensar qual era a população-alvo da iniciativa sim porque eu ando a ler uns livros de gestão e de marketing e tenho aprendido que quando se decide criar um novo serviço deve ser definido o público-alvo para se saber se vale a pena avançar com a medida e pensando no meu caso concreto não vejo como posso aproveitar esta nova potencialidade porque não tenho computador portátil e o meu irmão que tem um daqueles que venderam muito baratos na escola não mo empresta e mesmo que tivesse um meu não podia de dia porque estou a trabalhar e os horários do Centro não dão para lá ir e à noite tenho mais coisas que fazer do que estar agarrada ao computador e ainda pensei que o poderia levar nos dias dos espectáculos mas não dá jeito nenhum e estou nesta perplexidade sem saber quem vai poder utilizar este importante serviço além das pessoas que trabalham no Centro e já agora agradecia que quem sabe me informasse.

2 comentários:

Anónimo disse...

É verdade sim senhora, mais valia ter posto essa coisa lá junto à Zahara, sempre dava para as crianças verem nos seus magalhães umas gajas nuas entre dois shots!

José Ovelha Asinino disse...

Ouça lá ó menina! Prum lado disque está dacordo e que apoia e mais tal ecoisa. Por outro parece questá a gozar como pagode. Vamos mas lá aver sagente sentende: ó sim ó sopas. Em qué que fiquemos?
Com amigos coma menina mais vale aturar os inimigos.
Dexe mas é descrever parvoices e aprenda a cozer meas e a cozinha que sã cousas mas a sê geto.