quarta-feira, 14 de julho de 2010

Baixar os Salários aos Funcionários Públicos!

Nesta altura do ano, e enquanto não chegam as férias, tento sempre fugir um pouco à rotina e deixar de olhar para temas recorrentes olhando para outros, que não sendo pouco importantes, por esta ou aquela circunstância, não estão dentro dos meus interesses diários.
Mas confesso que este ano está a ser difícil, e se para o post de hoje, pretendia fugir do âmbito local onde a cultura parece ser o alvo preferido, encontro a nível nacional uma frase proferida pelo economista Ernâni Lopes que me faz tecer algumas linhas de reflexão. Diz este antigo ministro das finanças que é necessário reduzir em 15% os salários dos funcionários públicos. Mais, quando escrevo estas linhas, estou a assistir a um debate na SIC notícias onde António Pires de Lima segunda as opiniões de Ernâni Lopes.
Ora esta linha de pensamento parece-me péssima, péssima para os funcionários públicos que, eventualmente lerem estas linhas. Já sei que provalmente, vão dizer que reduzam naqueles que ganham muito...já sei também que é natural que por aqui surja algum comentário do Bloco de Esquerda de Campo Maior elevando as qualidades do Louçã. No entanto, devo dizer que os funcionários públicos deviam queixar-se deles próprios, ou seja queixarem-se de outros funcionários públicos que para caçar votos colocaram três pessoas a realizar o trabalho de uma. Ora assim, não há produtividade e em tempos de crise, na incapacidade de aumentar a receita, a maneira mais rápida de voltar ao equilíbrio é reduzindo os salários!
Dizia-me, na altura em que se começou a falar da concessão da água, um burriquista ferrenho com responsabilidade nesta questão, que a vila iria ganhar com a concessão. Respondia eu, mas e as pessoas que estão nesse serviço o que vão fazer? - Vão ser integradas noutros serviços da câmara! dizia ele. Pois bem, volvidos poucos anos, o burriquista ferrenho passou a anti-burriquista ferrenho, saltou o muro em Checkpoint Charlie como se fazia na Alemanha Comunista e muito me temo que continua a tomar outras decisões como esta.

2 comentários:

Zé de Melro disse...

Gostei das suas observações. Também sou da opinião de Ernâni Lopes.
Acho no entanto que não devia haver excepções.

Militares, Médicos, Investigadores, Juízes, Professores também deviam ver reduzidos os seus salários.

GOSTEI SOBRETUDO DA FOTOGRAFIA DO CORETO, QUE DEVE PELA DATA, TER SIDO DESTRUÍDO NUMA ACÇÃO QUE RECUSO CLASSIFICAR, PELA CÂMARA DE CAMPO MAIOR, QUANDO DA "REQUALIFICAÇÃO DA "AVENIDA"".

CUMPRIMENTOS!

fulano disse...

Pois bem!
Agora pergunto e os "gajos" (para não lhe chamar "boys") que administram empresas, ditas públicas, que ganham balúrdios, que tem regalias do tempo do Rei-sol, etc... ah! e aquele "gajo" que é presidente da Assembleia da República (da nossa) que tem 2 automóveis de serviço, de alta cilindrada (1 de 50 mil € e outro de 75 mil €)... e para esta "raça", não há cortes, não há reduções?????

Parece bem cortar somente 5 % nos vencimentos dos políticos? e nem todos, porque muitos cargos políticos não são abrangidos (assessores e afins)?!?!? Porquê??? será sempre o mesmo a pagar????? e olhem que neste caso, no meu, não pertenço a nenhuma força política, quer de esquerda, quer de direita, quer de torta!!!!! Fogo!!! começo a ficar farto desta "gentalha" que olha sempre para o mesmo!!!!

Não repararam que o caminho mais fácil para redução de défices é cortar nos desgraçados (leia-se Zé Povinho) e aumentar impostos?????